Conhecer os meus direitos e deveres

Easy_to_read_logo

Porque devemos fazer este exercício?

Para compreender o que significa tomar decisões.
Todas as pessoas têm o direito a tomar decisões.
Para tomarmos decisões precisamos de estar informados.
Sem informação não podemos tomar decisões informadas.
Às vezes precisamos de apoio para tomar decisões.
Nestas situações precisamos do apoio
de uma pessoa de confiança,
que tenha experiência de vida sobre o assunto.

Easy_to_read_logo

Qual pode ser o papel do coformador ?

Durante a preparação da sessão de formação o coformador deve fazer este exercício em conjunto com o formador.
O coformador pode falar sobre uma situação pessoal onde tomou decisões sozinho ou com apoio.
O coformador deve estar atento ao que os outros participantes dizem e ajudar o formador a moderar a sessão.

Qual é o objetivo do exercício?

Os participantes aprenderão o que significa decidir e qual é a diferença entre decidirem por si mesmos e ter alguém a decidir por eles.

Qual a metodologia que deve ser utilizada?

O que é que as pessoas decidem? Exemplos: o que vestir, o que almoçar, a que horas se levantam, se vão ao cinema, onde querem trabalhar, onde vão de férias, que medicação tomam. O formador prepara imagens com “decisões” e coloca-as em cima da mesa. O grupo poderá então discutir as possíveis decisões nos diversos casos. O formador deverá resumir/sumariar o que significa decidir.

Como decidimos algumas coisas?

O formador pode colocar no quadro imagens de formas de como as pessoas tomam decisões. Por exemplo: uma pessoa que toma uma decisão sozinha; uma pessoa que toma uma decisão com apoio e pede conselhos a outra pessoa e uma situação em que alguém decide por outra pessoa.

Cada participante tira da mesa uma imagem com uma decisão e diz como é que ele/ela decidiria nessa situação (sozinho/a, com apoio ou deixando alguém decidir por si) e por quê. Os participantes devem identificar qual a forma de decisão que optaram para cada uma das situações, partilhando as suas experiências e reflectindo sobre as opções tomadas.

No caso de haver alguma decisão em que todos/as deixem os outros decidir em seu nome, o formador pode perguntar a cada participante qual seria a sua decisão se estivesse em alguma circustância semelhante às trabalhadas durante o exercício; ou perguntar aos participantes como é que os seus amigos (sem deficiência) decidiriam nessas mesmas situações.

Outras questões possíveis:

  • Porque é que alguém decide por si?
  • Se a capacidade de decisão fosse sua, saberia como decidir?

O formador deverá reforçar que a maioria das pessoas não precisa que ninguém decida por elas, mas sim que as apoiem para que cada uma seja capaz de decidir por si.

Quais os materiais necessários?

Imagens/fotografias com decisões, quadro, ímanes.

Tempo: 45 minutos