Pacote de formação

O

Introdução

As pessoas com deficiência intelectual têm o direito a tomar decisões e a receber apoio formal e informal, de acordo com as suas necessidades.

Todas as formas de apoio devem respeitar as vontades e preferências das pessoas com deficiência intelectual.

Existem diversas formas de apoio que visam ajudar as pessoas com deficiência no exercício da sua capacidade jurídica, que têm sido progressivamente reconhecidas: representação, autorrepresentação, apoio na comunicação e, também, o apoio de pares. Este é o motivo pelo qual o projeto TOPSIDE se tem revelado enquanto processo inovador, cujo objetivo visa a criação de uma formação dirigida aos pares de apoio.

Sobre a formação TOPSIDE

O objetivo do programa TOPSIDE é permitir que as pessoas com deficiência intelectual disponibilizem formação e apoio aos seus pares. Trata-se de um programa integrado que permite a participação de todos na formação, que assenta no princípio de que o apoio prestado entre as pessoas é um processo natural, na medida em que todos nós damos e recebemos apoio informal em todas as áreas da vida, através de diferentes tipos de relacionamento. Com o programa TOPSIDE procurou criar-se uma ferramenta flexível que permitisse aos formadores utilizar os materiais disponibilizados, de forma a responder adequadamente às necessidades e ambições dos participantes do curso, bem como respeitar as diferentes capacidades e ritmos de cada participante.

Com a formação TOPSIDE os pares de apoio irão aprender a melhorar competências específicas, tais como a comunicação, como apoiar adequadamente outra pessoa e demonstrar empatia pelos outros.

O par de apoio irá aprender a falar sobre as suas próprias experiências de vida, a utilizar exemplos próprios, bem como todos os recursos disponibilizados pelo programa para poder prestar apoio a outras pessoas.

A formação irá também abordar diferentes valores que o par de apoio poderá adotar durante a sua função: inclusão, abordagem centrada na pessoa, papéis sociais, cidadania e participação na comunidade.

O objetivo da formação TOPSIDE é o de preparar as pessoas com deficiência intelectual para se tornarem pares de apoio, tendo por base as seguintes atitudes, competências e capacidades:

  • Capacidade para desenvolver relacionamentos
  • Respeito pela pessoa e pelo seu ambiente
  • Atitude de abertura/não julgar os outros
  • Respeito pelas decisões
  • Evitar a manipulação
  • Saber qual o papel do par de apoio (não se “exibir”, não se impor)
  • Agir como “convidado” na vida da pessoa com deficiência
  • Capacidade para falar sobre diferentes experiências
  • Ser digno de confiança (compreender o conceito de confidencialidade, privacidade…)
  • Atitude inclusiva

As pessoas com deficiência intelectual farão as suas aprendizagens num contexto real e irão agir como par de apoio para compreender e assumir essa função. Deste modo, antes do curso de formação deverá ser estabelecido um plano claro para os pares de apoio, devendo esse plano ser anunciado aos formandos. Este aspeto constitui a base fundamental para usar e trabalhar com o programa TOPSIDE.

Para usar o material de formação da forma mais eficaz irá aprender a trabalhar com um/a coformador/a com deficiência intelectual. O/a coformador/a irá desempenhar, em conjunto com o/a formador/a, uma função essencial para o desenvolvimento e adaptação do programa de formação prestando aconselhamento, sempre que for pertinente, ao grupo de pessoas com quem está a trabalhar.

O desenvolvimento do currículo

O processo de desenvolvimento do currículo constituiu uma parte muito importante do projeto, uma vez que este programa foi testado num período de 6 meses durante mais de 40 horas em cada um dos países envolvidos no projeto: República Checa, Finlândia, Países Baixos, Roménia, Escócia e Espanha.

A equipa europeia de formadores e coformadores com deficiência intelectual trabalhou em conjunto durante dois anos para desenvolver o programa e realizar as atividades do projeto.

Os países representados na parceria abrangem diferentes regiões da Europa, possuem uma história e cultura próprias e oferecem tipos de apoio muito diferentes a pessoas com deficiência intelectual. O processo de análise de pares dentro da parceria foi muito estimulante.

A Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos de Pessoas com Deficiência, constituiu a base de trabalho de todos os parceiros.

A nível metodológico, os parceiros definiram em primeiro lugar a função do par de apoio e estabeleceram os seus limites. Uma vez definido o “perfil” do par de apoio, os parceiros partilharam métodos de trabalho concretos e exercícios que habitualmente usam na formação de novos pares de apoio. Graças à eexistência de reuniões de parceria, também puderam partilhar boas práticas e soluções usadas no trabalho com os coformadores. Por fim, todos registaram os seus próprios desenvolvimentos a nível nacional e os conteúdos aprendidos. Todo este material recolhido e compilado constitui a formação TOPSIDE.

A equipa responsável pela qualidade do projeto, composta por vários peritos independentes, apoiou este processo ao questionar e refletir sobre o nosso trabalho. As suas opiniões foram extremamente úteis no acompanhamento dos nossos sucessos e dos pontos fracos.

A Função do Par de Apoio

Com a formação TOPSIDE os pares de apoio irão aprender a melhorar competências específicas, tais como comunicar de forma eficaz, apoiar adequadamente outra pessoa e demonstrar empatia pelos outros.

O par de apoio irá aprender a falar sobre as suas próprias experiências de vida , a utilizar exemplos próprios, bem como todos os recursos disponibilizados pelo programa para poder prestar apoio a outras pessoas.

A formação irá também abordar diferentes valores que o par de apoio poderá adotar durante a sua função: inclusão, abordagem centrada na pessoa, papéis sociais, cidadania e participação na comunidade.

Um currículo baseado em competências

A formação deverá ser elaborada de forma a que todas as competências definidas no programa sejam assimiladas e postas em prática em situações da vida real. As competências serão progressivamente adquiridas e consolidadas em cada tópico, tal como descrito no manual de orientações para os formadores.

As competências podem ser divididas em 3 categorias:

  1. Competências transmitidas entre pares, das quais destacamos a comunicação, reação e empatia, quer entre pares , quer em grupo.
  2. Competências de inclusão,que se relacionam com a inclusão, a abordagem centrada na pessoa, a valorização do papel social de cada pessoa, bem como a importância de exercer os seus direitos e de participar de forma ativa na comunidade onde vive.
  3. Competências pragmáticas ou práticas que se relacionam com a importância e a capacidade de relatar experiências reais vividas por cada pessoa em diferentes áreas como forma de apoiar outras pessoas. Por exemplo: casa, direitos, trabalho, etc. Ao acrescentar estes conhecimentos às suas competências, os pares de apoio poderão apoiar outras pessoas.

O seguinte gráfico ilustra as três categorias de competências:

pt_bubbles